Carteira de Ações

quinta-feira, 4 de junho de 2015

10 Países com melhor qualidade de vida no Mundo

A organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) divulgou esta semana o resultado de um levantamento com os melhores países para viver no mundo. A pesquisa levou em conta os indicadores econômicos não medem a qualidade de vida da população. O objetivo declarado é ajudar os países a traçar políticas para o desenvolvimento. O estudo levou em conta 11 critérios que considera essenciais para uma vida feliz. 


1) Austrália:  país manteve a primeira posição na pesquisa da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), que elege os países com maior qualidade de vida, seguindo 11 diferentes critérios que considera essenciais para uma vida feliz.

2) Suécia: o país ultrapassou a Noruega e alcançou o segundo lugar. Ele está no topo em qualidade do meio ambiente, equilíbrio entre trabalho e lazer, satisfação com a vida, saúde e educação.

3) Noruega: país caiu da segunda para a terceira posição no ranking da OCDE. 

4)Suíça: está em quarto no ranking geral, mas está perto do topo no que diz respeito a empregos, saúde e satisfação com a vida. Tem a segunda maior renda por domicílio, de acordo com o índice. Só fica atrás dos Estados Unidos.

5) Dinamarca: em quinto lugar na lista detém o recorde de equilíbrio entre trabalho e lazer e felicidade em geral. Os dinamarqueses também estão mais satisfeitos com a própria vida que a média dos países analisados.

6) Canadá: país aparece em sexto lugar a partir dos indicadores da pesquisa feita pela organização. Pelas métricas, o Canadá está em sexto, com notas acima da média em todos os quesitos.

7)Estados Unidos: no ranking da OCDE, os Estados Unidos estão no topo em renda e moradia, mas é apenas mediano em educação, meio ambiente, segurança e equilíbro entre trabalho e lazer. No total, aparece em sétimo.

8) Nova Zelândia: os moradores da Nova Zelândia são os mais saudáveis do mundo desenvolvido, com 90% dos entrevistados afirmando estar em boas condições de saúde. No país, que ficou em oitavo, as pessoas vivem em média até os 82 anos.

9)Islândia: em nona posição na pesquisa, a Islândia conta com baixa taxa de desemprego, bom nível de renda e trabalhadores com estabilidade no emprego.

10)Finlândia: o país está em décimo lugar, mas ocupa o topo do ranking no que diz respeito a educação da população, um indicador que está entre os mais valorizados pela OCDE.
fonte: OCDE

sábado, 30 de maio de 2015

Carteira atual do Investidor Sócio e rentabilidade anual

Melhor do que ficar falando é mostrar a carteira e em 2015 ela esta ao meu ver muito bem e consolidada. Boas empresas, bons dividendos, bons resultados e para minha grande satisfação a Eletropaulo virou o carro chefe do ano, mesmo no mês em queda a Eletropaulo já acumula quase 90% de rentabilidade no ano e logicamente quando a ação chegou a preços entre, 5,80 e 7 reais realizei boas compras até pelos post que fiz sobre a recuperação da Eletropaulo e pelo que andei pesquisando, acredito ser um dos poucos ou o único que fez uma analise sobre a possibilidade real de recuperação com base nas mudanças regulatórias que o setor começou a vivenciar nesse começo de 2015 por conta das bandas tarifárias e sobre a repactuação de contratos, culminando em novos reajustes e ainda temos o fim do contrato com a AES TIETE no final de 2016. 

O interessante é ver mensagens antigas me instigando a vender a Eletropaulo como uma sardinha maluca e que não sabe o que esta fazendo na Bolsa, minha metodologia é acumular patrimônio e não ficar girando carteira e dando dinheiro para corretora ou pagando imposto de renda. O método é simples e baseado na governança corporativa, resiliência, marcas e mercado que a empresa ocupa. 

Minha rentabilidade no ano esta em 12% e minha lista de empresas esta abaixo, estou pensando em fazer um post sobre governança corporativa que é tema da minha dissertação do mestrado mas como o tempo anda curto vou ver se consigo pois também estou pensando em publicar um artigo científico com meu professor orientador sobre esse tema. 

Empresas e rentabilidade:


CódigoPreçoDia365dAno Vol 21dP/LP/VPADYVl MercÚlt Neg 
ELPL416,36▼2,79%▲81,58%▲88,91%22M27,81,0-3B29/05/15Excluir
UGPA368,64▼1,69%▲30,79%▲35,05%127M27,24,82,1%38B29/05/15Excluir
CIEL340,00▼3,03%▲21,92%▲16,50%155M22,615,42,4%75B29/05/15Excluir
ABEV318,40▼0,43%▲18,64%▲14,49%196M23,56,53,6%289B29/05/15Excluir
CMIG314,15▼3,48%▲0,78%▲5,89%838k5,31,420,2%18B29/05/15Excluir
ALUP1117,42▼3,22%▲9,48%▲4,89%4M29,94,32,6%11B29/05/15Excluir
BBAS322,74▼2,82%▲5,68%▼0,74%152M4,50,99,0%64B29/05/15Excluir
ETER32,76▼10,68%▼30,02%▼10,40%727k6,01,014,5%494M29/05/15Excluir
POMO42,82▼3,42%▼32,00%▼12,77%12M12,51,54,1%3B29/05/15Excluir
ESTC318,30▲2,23%▼29,97%▼21,80%38M13,12,31,8%6B29/05/15Excluir
* Valores não-consolidados

domingo, 3 de maio de 2015

VASCO CAMPEÃO CARIOCA 2015!

Depois de 12 anos ou seja, desde o campeonato da letra do Léo Lima de 2003 que o Vasco não era campeão estadual, foram anos perdendo titulo com gol de impedimento aos 47 do segundo tempo, gols que entraram e o juiz de linha mesmo com a bola lá dentro, como aconteceu diversas vezes ano passado não deu o gol, enfim no último titulo de 2003 ainda estava na faculdade e 12 anos depois o primeiro titulo no Maracanã depois da Final do Mundial é muita emoção.

Só quem aprecia esportes e passa por um longo jejum desses pode entender a felicidade do dia de hoje, agora é esquecer essa fase com o Dinamite onde o Vasco fora de campo foi prejudicado inúmeras vezes e partir para conquistas maiores a exemplo do seu passado glorioso. 



domingo, 12 de abril de 2015

Barsi e a Eletrobras dois anos depois de comprar de pá

Em maio de 2013 Barsi fez a seguinte declaração:

 A maioria das empresas do setor de energia era negociada por mais do que o valor patrimonial, com exceção da Eletrobras. Aí veio a pres. Dilma e baixou o preço da energia sem consultar ninguém. Muitas empresas de energia passaram a ser negociadas por bem menos que o valor patrimonial. Eu fui á e comprei. Ao invés de fugirem do setor elétrico como fizeram, todos deveriam ter comprado mais. Eu comprei Eletropaulo e Eletrobras ON por causa de fatores técnicos, dados históricos e um retorno em dividendos mais interessante. Os outros fugiram por uma questão psicológica. Teve aquele analista do Barclays que disse que o preço justo da ação da Eletrobras era R$ 1,00. Eu estava rezando para que fosse a R$ 2,00, mas infelizmente não foi. Quando chegou a R$ 6,00, eu e muita gente compramos. Numa situação como essa, tem que ir lá e compra com a pá. Como toda a estrutura que possui, a Eletrobras chegou a ter um valor de mercado de R$ 12 bilhões, sendo que só a usina de Belo Monte vai custar R$ 25 bilhões. Então é ridículo o preço que se atribui a ela." 



Em abril de 2015:

A decisão da Eletrobras de suspender o pagamento de dividendos este ano provocou forte insatisfação dos minoritários da Eletrobrás, que ameaçam questionar a empresa na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) alegando má gestão. A empresa informou esta semana que, após registrar o terceiro ano seguido de prejuízo, não irá pagar dividendos nem juros sobre capital (JCP) aos seus acionistas este ano. A informação foi recebida com muito descontentamento pelos minoritários, que estão em conversação com advogados para moverem uma ação por má gestão.

De acordo com o Luiz Barsi Filho, um dos acionistas da Eletrobras e um dos maiores investidores pessoa física da Bovespa, os minoritários precisam reagir às decisões equivocadas que estão sendo tomadas pela empresa. “Não podemos, de maneira alguma, assistir toda esta incompetência que estamos vendo, acenando a cabeça com um sim. Nós temos direito a dividendos e estamos conversando com advogados sobre a possibilidade de entrar com um ação contra a má gestão da companhia junto a CVM”, diz.

Para Barsi Filho, a má administração pode ser intencional para justificar a antecipação de indenização junto a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). “A impressão que tenho é que fizeram o máximo para depreciar o balanço para justificar o pedido de mais de R$ 15 bilhões junto a Aneel”, diz. 


quarta-feira, 1 de abril de 2015

Ultrapar e Boas empresas no Brasil

Finalmente parece que o mercado começou a enxergar a Ultrapar, no ano até o momento a empresa teve valorização de mais de 30% como podemos ver abaixo:


     


Valorização Ano


UGPA3

▲31,10%





Mesmo em uma situação macroeconômica ruim para o País, a valorização de boas empresas como AMBEV e CIELO que fazem parte da minha carteira desde 2012, é prova que temos algumas poucas boas opções de investimentos. 

Outra situação que estamos começando a ver é a recuperação da Eletropaulo e certamente quem comprou na faixa dos 5 reais não tem do que reclamar até o presente momento e já abordei as questões que poderiam fazer a diferença na recuperação como a implementação do sistema de banda tarifárias e o próprio reajuste extraordinário que ocorreu nesse ano. 

O que fica claro é que o perfil psicológico e a paciência no longo prazo (uma tortura para maiores dos investidores no Brasil), além de uma boa seleção de empresas que tem marcas valiosas e serviço ou produtos essenciais para nossa sociedade, gerando lucros consistentes ou passando por situações extraordinárias mas mantendo uma governança corporativa consistente podem fazer a diferença na geração de valor para nós acionistas minoritários.

sexta-feira, 6 de março de 2015

Visto Americano para Italianos

Outra grande vantagens para os cidadãos italianos é sobre os vistos americanos de investidores e que estão limitados a alguns países por acordos comercias e abaixo uma matéria muito interessante falando sobre todos esses aspectos. Enfim a cidadania italiana abre portas não só na Europa mas nos Estados Unidos e Canadá, mostrando ser um grande investimentos para os descendentes que correm atras de regularizar a cidadania.

Vistos para Comerciantes & Investidores (Visas E1, E2)
Os vistos para Comerciantes e Investidores oferecem aos nativos dos países que fazem parte do Tratado de Comércio com os Estados Unidos (* ver em baixo a lista dos países) a oportunidade de trabalhar, dirigir e controlar um negócio que tenham estabelecido nos Estados Unidos.
Trata-se de um visto temporário ou de não- imigrante, e o Comerciante ou Investidor poderá renovar seu visto por um longo período enquanto a empresa estiver em operações. Destarte, devido a uma recente modificação na lei, as esposas de um Comerciante ou Investidor podem obter autorização de trabalho enquanto o “beneficiário principal” mantiver o seu status.
Um visto E-2 exige um investimento médio de US$100,000 a US$150,000. Já um investidor imigrante, e sob a categoria de investidor EB-5 (Green Card) deverá fazer um investimento de ao menos US$500,000 em um negócio novo, que deverá gerar no mínimo de 10 novos empregos de tempo integral.
Outra opção para investidores é visto categoria L-1. Mas, só após uma análise detalhada da situação que o cliente se encontra e do caso concreto é que se poderá determinar com certeza qual categoria de vistos de Investidor o cliente se enquadra. Esta análise deverá ser realizada por um advogado de imigração com experiência.
FAQ (Perguntas mais Frequentes)


  1. Como me qualifico como Comerciante para um visa E-1?
  1. Como me classifico como Comerciante para um visa E-2?
  1. A empresa comercial já deve existir e/ou o investimento deve ser feito antes da emissão do visto? No geral, é permitido abir um novo negócio?
  1. O que é uma quantia substancial?
  1. As “joint ventures” são permitidas?
  1. Quanto tempo pode um Comerciante ou Investidor permanecer nos Estados Unidos?
  1. Onde devo realizar o requerimento para o visto E-2/E-1?
  1. A esposa e filhos do requerente tem direito a vistos derivativos?
  1. A esposa de um detentor de visa E pode trabalhar? Os filhos dependentes E-2 podem estudar?
  1. Quais as nacionalidades que se qualificam para os vistos E?
  • O requerente tem de ser nativo do país com tratado de comércio.
  • O comércio internacional deve ser “substancial”; deve existir um volume comercial sustentável e contínuo.
  • O comércio deve se realizar principalmente entre os Estados Unidos e o país comerciante. Isso significa que mais de 50% do comércio internacional da empresa envolvida deverá ser entre os Estados Unidos e o país da nacionalidade do requerente.
  • Comércio significa a troca internacional de produtos, capitais, serviços ou tecnologia. O título dos itens tem de passar de um país para o outro.
  • O requerente deve estar empregado como diretor ou com capacidade executiva, ou possuir capacidade altamente especializada, essencial para a operação da empresa.
  • O investimento deve ser substancial, ou seja, suficiente para assegurar uma operação de sucesso da empresa. A porcentagem do investimento para uma empresa de baixo custo deve ser superior à porcentagem do investimento em uma empresa de alto custo.
  • O investimento deverá ser real e não especulativo.
  • O investimento não pode ser marginal. Tem de gerar rendimento significativamente maior que o necessário para manter o nível de vida do investidor e sua família ou deve ter um impacto econômico significativo nos Estados Unidos.
  • O investidor deve possuir o controle dos fundos e o investimento deve ser de risco, no sentido comercial. Empréstimos com garantias em relação ao ativo da empresa não serão contabilizados.
  • Um investidor deve vir para os Estados Unidos para desenvolver e dirigir a empresa. Se o requerente não for o investidor, este terá que estar empregado como diretor, executivo ou deverá possuir capacidade altamente especializada.


O termo “comércio” está definido para incluir as relações comerciais de produtos e comércio de serviços e tecnologia. Isto inclui bancos, seguros, transportes, turismo, comunicações, processamento de dados, publicidade, contabilidade, desenho e engenharia, consultoria de gestão, transferência de tecnologia e outros serviços mensuráveis que podem ser comercializados.
Sim. Você deve criar um novo negócio. Porém, para obter um E-2 ou E-1, você deve demonstrar que irá efetuar um investimento substancial ou que já o realizou. O negócio já deve estar estabelecido no momento do requerimento para o visto. Os investimentos, porém, podem ser futuros, desde que os fundos estejam irrevogavelmente ligados ao investimento, tal como numa conta paralisada apenas aguardando a  emissão do visto. Os fundos de investimento podem provir de outro país, incluindo os Estados Unidos, enquanto forem controlados pelo investidor requerente.
Note que o simples depósito do dinheiro em uma conta bancária e a apresentação do plano do negócio, normalmente não são suficientes para obtenção do visto.
Não existe um valor fixo o qual é considerado como “substancial”. Um valor substancial de capital constitui aquela soma, que é suficientemente ampla para assegurar o comprotimento financeiro do investidor para uma operação de sucesso da empresa calculado por meio de um cálculo de proporcionalidade. O teste de proporcionalidade compara a soma total investida na empresa com o custo do estabelecimento de uma empresa desta natureza ou a soma do capital necessário para comprar uma empresa já existente no mercado.
Normalmente será necessário um investimento mínimo de US$100.000,00, se bem que este valor pode ser reduzido no caso de um determinado negócio não exija tamanho investimento. Um investimento absolutamente mínimo esta entre US$50.000,00 e US$75.000,00, spara este tipo de negócio.
Cumpre ressaltar que são diversas Embaixadas Americanas que processam requerimentos E-2, e as mesmas parecem ter idéias diferentes do que deverá ser considerado um investimento substancial. Algumas preferem que haja um investimento mínimo de US$150,000 então o investidor deverá consultar um de nossos advgogados para se certificar se o investimento hora efetuado será suficiente para efeito de requisição de visto E.
Sim, desde que o investidor tenha o papel de “desenvolver e gerenciar” a empresa. O requerente deve estar em posição de controle da empresa através da posse de pelo menos 50% da empresa através de seu contrato social.
O requerente deverá ter o intuito de deixar os Estados Unidos após conclusão de suas atividades comerciais. Não obstante, os detentores de um visto E podem residir nos Estados Unidos enquanto preencherem os requisitos do visto E. Assim, uma estadia de prazo potencialmente indefinido é possível.
Tipicamente o requerente deverá requere-lo perante uma Embaixada dos Estados Unidos no país de sua nacionalidade ou onde possuem residência legal. É possível também obter um status E-2 ou E-1, nos serviços USCIS nos Estados Unidos para quem queira mudar seu status e já esteja em território americano, o que não é normalmente aconselhável pois, se o requerente deixar os Estados Unidos, terá a necessidade de submeter seu requerimento por escrito novamente na Embaixada local. A Embaixada dos Estados Unidos não considera a aprovação na mudança do status E-2. Isto é uma particulariedade no processo E-2/E-1.
Sim. A esposa e filhos com idade inferior a 21 anos se qualificam para os vistos derivativos do visto E fundamentados na qualificação do requerente principal. Não é necessário que tenham a mesma nacionalidade do detentor principal.
Sim. No seguimento de mudanças recentes na lei, a esposa dependente do visa E também tem permissão de trabalho nos Estados Unidos. Contudo, devem se inscrever para obter a autorização de trabalho quando chegarem aos Estados Unidos. Os filhos menores dos detentores do visa E também podem frequentar a escola sem necessidade de obter visto de estudante.
Argentina, Austrália, Áustria, Bélgica, Bósnia_Herzegovina, Canada, Chile, China, Colômbia, Costa Rica, Estónia, Etiópia, Filandia, França, Geórgia, Alemanha, Honduras, Irão, Irlanda, Itália, Jamaica, Japão, Jordânia, Coreia, Libéria, Eslováquia, Luxemburgo, Macedónia, México, Holanda, Noruega, Oman, Paquistão, Paraguiai, Filipinas, Eslovénia, Espanha, Sri Lanka, Suriname, Suécia, Suíça, Tailândia, Togo, Turquia, Reino Unido, Jugoslávia.
Bolívia, Brunei, Dinamarca, Grécia, Israel
Albânia, Arménia, Bangladesh, Bulgária, Camarões, Republica democrática do Congo, Republica do Congo, Republica Checa, Equador, Egipto, Grenada, Cazaquistão, Kyrdyzstan, Lituânia, Moldávia, Mongólia, Marrocos, Panamá, Polónia, Roménia, Senegal, Republica Eslovaca, Trinidad & Tobago, Tunísia., Ucrânia.


fonte: http://vistos-americanos.com/vistos-E2.html