segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

Crise

Certamente estamos vivendo a pior crise dos últimos 20 anos e obviamente não sabemos qual vai ser o final desse cenário mas como demonstra a história, toda crise tem um fim e como podemos aproveitar essa situação como investidor?

Psicologicamente vivenciar toda turbulência não é tarefa das mais fáceis e vemos muita gente realizando todos os prejuízos a exemplo do que ocorreu em 2008 mas talvez essa crise tenha uma duração maior. Observamos que o país vem perdendo credibilidade ano após anos, seja por queda de investimento internacional, seja por queda nos rating das agências, crise no setor elétrico, corrupção e falta de governabilidade. 

Juntando todas essas situações temos uma tempestade perfeita e a saída de investidores do país em massa, até porquê grandes fundos internacionais só podem investir em determinado país, se este possuir ao menos notas que o qualifiquem como de não grau especulativo e demoramos anos para ganhar essas notas e pouco tempo para perder e quanto tempo vamos levar para recuperar essa posição?

O que pretendo fazer nesse cenário é continuar minha estratégia e focar em empresas que me gerem renda passiva e aumentar minha posição nas empresas que eu considero que atendam minhas exigências de governança, lucratividade e dividendo. 

O ideal nesse momento é avaliar com cuidado todos os cenários macroeconômicos e politico pois ao meu ver a valorização das empresas vai ser condicionada a esses fatores, ainda mais porquê estamos em uma posição especulativa e tem o lado pesado bem negativo mas em todas crises e caos é onde podemos aproveitar para continuar ou repensar nossas estratégias. 

sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

Governança Corporativa, Governabilidade e Regulação

Ultimamente temos visto muitos problemas no Brasil e principalmente ligados a indicação politica para ocupação de postos mais técnicos em organizações públicas e privadas, desencadeando uma serie de situações negativas que afetam o sistema financeiro. O artigo que destaco a seguir, do excelente professor Sérgio Guerra da FGV discute esses problemas e acredito ser uma boa referência para as discussões e problemas que estão afetando nosso cotidiano. 

http://www.valor.com.br/opiniao/3042718/agencias-reguladoras-entre-governanca-e-governabilidade

quarta-feira, 25 de novembro de 2015

CEMIG mantém concessões de 18 hidrelétricas

Cemig paga R$2,2 bi em leilão para manter 18 hidrelétricas, incluindo Três Marias
quarta-feira, 25 de novembro de 2015 11:40 BRST
[-Texto [+]

SÃO PAULO (Reuters) - A estatal mineira Cemig vai pagar 2,2 bilhões de reais para manter a concessão de 18 hidrelétricas, que somam 700 megawatts em capacidade instalada, após arrematar os empreendimentos em leilão nesta quarta-feira, no qual o governo federal ofereceu a investidores usinas cujos contratos de exploração estavam vencidos.
A Cemig já havia dito em diversas ocasiões que disputaria o certame para manter a concessão das usinas, dentre as quais a maior é Três Marias, com 396 megawatts. A companhia receberá uma receita anual de 498,7 milhões de reais para operar os empreendimentos, com deságio de 1 por cento ante o teto estabelecido para o certame. Embora CPFL Renováveis, Energisa e o Consórcio Energia Livre tenham se habilitado à disputa, apenas a Cemig apresentou lance.
(Por Luciano Costa)
fonte: http://br.reuters.com/article/businessNews/idBRKBN0TE1NU20151125

sábado, 14 de novembro de 2015

Luto por Paris

Paris foi a primeira cidade que conheci fora do Brasil, fui sempre muito bem tratado por franceses em todos os lugares que fui e admiro muito a cultura e os ideais e foi muito triste acompanhar toda essa tragédia e as 129 mortes e centenas de feridos gravemente até o momento. 

Como cidadão italiano e vendo a cidade mais visitada do mundo aterrorizada, ano passado foram 80 milhões de turistas, os países da Europa tem de repensar e endurecer a questão sobre os refugiados, a exemplo do que fizeram os húngaros pois uma das notícias recentemente destacadas é de que um dos passaportes encontrados nesse desastre foi justamente de um refugiado. Será que receber de qualquer jeito os refugiados é a solução? É esse o preço que a Europa vai pagar por acolher os refugiados?

Ao meu ver, a Europa tem de endurecer e monitorar as fronteiras, proibindo a entrada de qualquer suspeito, tomando ações mais duras para tentar resgatar a segurança na Europa. 

Que Paris e as famílias das vitimas se recuperem e que o Mundo possa ter paz e liberdade, que Deus esteja com todos nós.

sábado, 7 de novembro de 2015

Países qualificados para o Green Card

Estava olhando o programa para visto permanente nos Estados Unidos, o green card, vamos aos países qualificados abaixo:

Paises qualificados para a loteria do Green Card

Os países a seguir estão qualificados para participar na loteria deste ano

Ásia
Afghanistan, Bahrain, Bhutan, Brunei, Burma, Cambodia, Hong Kong Special Administrative Region, Indonesia, Iran, Iraq, Israel, Japan, Jordan, Kuwait, Lebanon, Malasya, Maldives, Mongolia, Nepal, North Korea, Oman, Qatar, Saudi Arabia, Singapore, Sri Lanka, Syria, Taiwan, Thailand, United Arab Emirates,Yemen, Macau S.A.R.

Países da Ásia que não se qualificam para o programa de diversidade deste ano:
China - (mainland-born), Bangladesh, India, Pakistan, South Korea, Philippines e Vietnam.
Hong Kong e , Macau S.A.R. e Taiwan estão qualificados e listados acima.


África
Algeria, Angola, Benin, Botswana, Burkina Faso, Burundi, Canieroon, Cape Verde, Central African Republic, Chad, Comoros, Congo, Democratic, Cote D'iviore (Ivory Coast), Djibouti, Egypt, Equatorial Guinea, Eritrea, Ethiopia, Gabon, Gambia, Tee, Ghana, Guinea, Guinea-Bissau, Kenya, Lesotho, Libya, Madagascar, Malawi, Mali, Mauritania, Mauritius, Morocco, Mozambique, Namibia, Niger, Nigeria, Republic Of Theliberia, Rwanda, Sao Tome And Principe, Senegal, Seychelles, Sierra Leone, Somalia, South Africa, Sudan, Swaziland, Tanzania, Togo, Tunisia, Uganda, Zambia, Zimbabwe.

Europe
Albania, Andorra, Armenia, Austria, Azerbaijan, Belarus, Belguim, Bosnia And Herzegovina, Bulgaria, Croatia, Cyprus, Czech Republic, Denmark Including Components And Dependent Areas Overseas, Estonia, Finland, France Including Components And Dependent Areas Overseas, Germany, Georgia, Slovenia, Greece, Hungary, Iceland, Ireland, Italy, Kazakstan, Kyrgyzstan, Latvia, Lichtenstein, Lithuania, Luxembourg, Macedonia the former, Malta, Moldova, Monaco, Montenegro, Netherlands Including Components And Dependent Areas Overseas, Northern Ireland, Norway, Portugal, Russia, Romania, San Marino, Serbia, Slovakia, Spain, Sweden, Switzerland, Tajikistan, Turkey, Turkmenistan, Ukraine, Uzbekistan, Vatican City, Yugoslav Republic Of

Países da Europa que não se qualificam para o programa de diversidade deste ano:
Poland, Great Britain. (United Kingdom) inclui os seguintes territórios: Anguilla, Bermuda, British Virgin Islands, Cayman Islands, Falkland Islands, Gibraltar, Montserrat, Pitcairn, St. Helena, Turks And Caicos Islands. Observe que, somente para os objetivos do programa de diversidade, a Irlanda do Norte é tratada separadamente; A Irlanda do Norte está qualificada e listada entre as áreas que se qualificam.


América do Norte
Bahamas

Na América do Norte, o Canadá não se qualifica para o programa de diversidade deste ano.


Oceania
Australia Including Components And Dependent Areas Overseas, Fiji, Kiribati, Marshall Islands, Micronesia, Federated States Of, Nauru, Newzealand Including Components And Dependent Areas Overseas, Palau, Papua New, Guinea, Solomon Islands, Tonga, Tuvalu, Vanuatu, Western Samo.


América do Sul, América Central e Caribe
Antigua And Barbuda, Honduras, Argentina, Barbados, Belize, Bolivia, Brazil, Chile, Costa Rica, Cuba, Dominica, Guatemala, Grenada, Guyan, Nicaragu, Panam, Paragua, Saint Kitts And Nevis, Saint Lucia, Saint Vincent and the Grenaadines, Suriname, The Grenadines, Trinidad And Tobago, Uruguay, Venezuela

Países que não se qualificam para o programa de diversidade deste ano:
Colombia, Dominican Republic, Ecuador, El Salvador, Haiti, Jamaica, Mexico, and Peru.

fonte: http://www.usgreencardoffice.com/br/qualifying-countries

sexta-feira, 6 de novembro de 2015

Artigo aprovado em congresso da USP

Nas últimas semanas entrei na reta final do mestrado e estou sem muito tempo para algumas atualizações no blog e semana passada recebi a confirmação que um artigo meu sobre governança corporativa foi aprovado e farei uma apresentação na USP e para quem é da área acadêmica sabe que não é todo dia que temos um artigo científico aprovado por uma instituição do porte da USP, ainda mais sobre um tema que gosto tanto e faz parte da minha filosofia de investimento que é uma boa governança corporativa. 

Agora passando por uma análise rápida, gostei de alguns balanços até o momento da minha carteira como da Cielo, Utrapar apesar da queda nos lucros, Marcopolo que eu pensei que daria prejuízo nesse trimestre, AMBEV dispensa comentários mas o que me decepcionou mesmo foi a Eletropaulo que quando parece que vai se ajustar, apresenta um prejuízo e ao meu ver já teve tempo suficiente para melhorar a gestão operacional e estou seriamente inclinado a zerar posição se nada for modificado em termos de melhoria de resultado para o próximo semestre. 

Quanto ao cenário econômico do país, acredito na minha estratégia e vou continuar aproveitando os descontos das empresas no Brasil e estou começando a analisar a possibilidade de começar a investir na Europa.

domingo, 25 de outubro de 2015

Programa o Sócio

Essa semana terminou a temporada do programa que mais gostava de assistir na televisão, o programa o Sócio do Marcus Lemonis na history, que costumava passar toda terça as 22.00.

Para quem não conhece, Marcus Lemonis é um empresário bem sucedido dono de uma fortuna estimada em 2 bilhões de dólares. Ele ficou famoso depois que passou a apresentar o programa americano The Profit (O Lucro, em português), transmitido no Brasil pelo canal pago History sob o nome de O Sócio.
No programa, Lemonis ajuda empresas em apuros a se reerguerem. Em geral sãopequenos negócios familiares, geridos de forma amadora. O empresário coloca seu próprio dinheiro no negócio e passa a ser sócio dos empreendedores. Com isso, é ele quem passa a dar as cartas até que a empresa se restabeleça. “Meus milhões, minhas regras”, costuma afirmar o apresentador. Quando não está salvando empresas, Lemonis chefia as companhias Camping World e Good Sam Enterprises.
O interessante no programa era o relacionamento que o Lemonis tinha com os proprietários dos negócios, onde em inúmeros episódios o conflito era constante e em alguns passava até mesmo como aconselhador emocional.
O grande paradigma que ele se fundamentava, tratava dos valores de pessoas, processo e produto e a governança corporativa era um dos principais instrumentos para avaliar e analisar o potencial de retorno das empresas.
O programa é bem interessante para sentirmos como funciona a gestão in loco de pequenos negócios e a dificuldade que várias empresas americanas passam por dificuldade de implementar uma boa gestão ou mesmo resistências à mudanças e da uma aula do que devemos fazer e do que não devemos fazer nos negócios, de problemas éticos, da visão e dos objetivos que podem ser alcançados e muito mais.
Agora fico na expectativa de uma nova temporada e seria interessante ver uma versão brasileira do Sócio.